Matérias que o vereador pode fiscalizar

Conheça as 3 Ferramentas Exclusivas dos Vereadores na Fiscalização

Enganam-se os que pensam que o vereador tem a função apenas de criar leis. Além da função legislativa, ao vereador também tem a função fiscalizadora e tão grande é sua importância, que a Constituição Federal a coloca no mesmo nível de igualdade com a função legislativa, ao estabelecer, no artigo 29, XI, que a Lei Orgânica não poderá ignorá-la ou diminuí-la, vejamos: 

Art. 29. O Município reger-se-á por lei orgânica, votada em dois turnos, com o interstício mínimo de dez dias, e aprovada por dois terços dos membros da Câmara Municipal, que a promulgará, atendidos os princípios estabelecidos nesta Constituição, na Constituição do respectivo Estado e os seguintes preceitos:

[…]

XI – organização das funções legislativas e fiscalizadoras da Câmara Municipal;

Certo é, portanto, pela norma constitucional, que a função fiscalizadora da Câmara Municipal ombreia em importância com a função legislativa, sendo considerada uma função típica da Casa de Leis e um direito-dever.

Mas como os vereadores fiscalizam?

Assim como qualquer cidadão, os vereadores podem fiscalizar o Poder Executivo através dos portais da transparência, portais de transferências federais, relatórios orçamentários e outras ferramentas disponíveis à população. Mas existem 3 instrumentos que apenas os vereadores podem utilizar na fiscalização, são eles: 

  • Requerimento de informação: Por meio de requerimentos de informação, a Câmara Municipal pode solicitar esclarecimentos sobre qualquer assunto de interesse público e coletivo, principalmente quanto a correta utilização dos recursos públicos, tais como: obras, convênios, fundos municipais, contratação de pessoal. Não existe uma regra pré-definida sobre o procedimento utilizado pelas Câmaras para encaminhar pedidos de informação ao Executivo, cabendo ao Regimento Interno regular o assunto.

Em alguns casos os requerimentos de informação dependem de aprovação do plenário, mas poderia o vereador enviar pedido de informação diretamente ao prefeito municipal? A resposta é sim. No tema nº 832 do STF foi decidido que “O parlamentar, na condição de cidadão, pode exercer plenamente seu direito fundamental de acesso a informações de interesse pessoal ou coletivo, nos termos do art. 50, inciso XXXIII, da CF e das normas de regência desse direito.”, garantindo o direito ao parlamentar de enviar pedidos de informação como qualquer outro cidadão.

  • Convocação dos secretários: Da mesma forma que o Congresso Nacional (art. 50 e art. 58, §2º, III, CF), a Câmara Municipal, ou qualquer de suas Comissões, exercem o poder de fiscalização, pois poderão convocar os Secretários Municipais ou quaisquer titulares de órgãos diretamente subordinados ao Executivo Municipal para prestarem, pessoalmente, informações sobre assuntos previamente determinados, inerentes a suas atribuições, importando crime de responsabilidade a ausência sem justificação adequada. 

Antes de prosseguirmos, cabe esclarecer a seguinte questão: poderia a Câmara ou suas Comissões convocar diretamente o prefeito para prestar esclarecimentos sob pena da sua ausência importar em crime de responsabilidade? A resposta é negativa! De acordo com o STF, ADI nº 687-PA, a Constituição Estadual (ou até mesmo a Lei Orgânica) não pode impor, ao Prefeito Municipal, o dever de comparecimento perante a Câmara Municipal, uma vez que essa medida provoca estado de submissão institucional do Chefe do Executivo ao Poder Legislativo municipal, transgredindo, desse modo, o postulado da equivalência entre os poderes.

  • Comissão parlamentar de inquérito (CPIs): São criadas pela Câmara Municipal, mediante requerimento de um terço de seus membros, para a apuração de fato determinado e por prazo certo, sendo suas conclusões, se for o caso, encaminhadas ao Ministério Público, para que promova a responsabilidade civil ou criminal dos infratores.

Em resumo, o papel do vereador na fiscalização dos assuntos municipais é de suma importância para a manutenção de uma governança transparente e responsável em nossas cidades, além de serem importantes atores no combate à corrupção. De acordo com a Constituição Federal, a função fiscalizadora dos vereadores é colocada em pé de igualdade com a função legislativa, refletindo seu caráter de direito-dever em nossa democracia.

Se você é um vereador ou um cidadão interessado em fiscalizar o poder público, o Método Vereador Atuante é para você. O MVA possui um módulo com 19 aulas que te ensina a fiscalizar na prática, sem depender do plenário e conseguindo apresentar resultados reais e práticos para os seus eleitores. Para mais informações sobre o Método Vereador Atuante, é só clicar aqui.

Além disso, se você é pré-candidato ou esta buscando uma reeleição, nós montamos uma trilha completa com tudo o que você precisa para ser eleito vereador em 2024, a TRILHA DA ELEIÇÃO.

Reunimos especialistas de cada área, em um único lugar, para garantir que você tenha acesso a tudo que precisa para construir a sua trilha para a vitória nas eleições de 2024.

Para garantir a sua vaga na Trilha da Eleição é só clicar aqui.

Fale Conosco via WhatsApp

Participe do nosso grupo no whatsapp para receber novidades sobre Câmara Municipal e Fiscalização.

Posts Recentes

A importância da pré-candidatura nas eleições municipais

A importância da pré-candidatura nas eleições municipais

Neste artigo, você entenderá a importância da pré-candidatura nas eleições municipais e por que se declarar como pré-candidato vai muito...

pré-campanha de vereador

Pré-campanha de vereador

Com a aproximação das eleições municipais, que acontecem em outubro, muitos pré-candidatos se encontram em um momento crucial de preparação...

Estratégias para pré-candidato a vereador em 2024

Colocar o nome à disposição da corrida eleitoral e um desafio que exige estratégias para pré-candidato a vereador em 2024....

Vamos construir a sua carreira política juntos!

Faça parte da melhor escola de formação de vereadores(as) do Brasil.